29 mar 2017

5 dicas para evitar a dor no sexo anal

Você considera um tabu sentir prazer na região anal? Ou encara essa sensação numa boa e se permite sentir prazer nessa área de grande sensibilidade?

Para muitas ainda é um tabu, podendo ser uma caixinha de surpresas caso você se permita experimentar apimentar a relação.

Considerado uma área proibida e de muita tentação, o sexo anal pode ser muito prazeroso e gostoso, desde que você sinta que é isso mesmo que quer.

Sexo anal, quando bem feito e aproveitado, é um passo positivo para se sentir desejada e inclusive aumentar a sua própria autoestima.

Você saber que sexo anal pode gerar desconforto e as vezes dor é importante, pois permite você usar estratégias que vão evitar essa tensão, como preparar um ambiente acolhedor ou executar exercícios de respiração para oxigenar o corpo e também evitar o tensionamento da musculatura, facilitando a penetração.

Agora se seu parceiro estiver indo com muita sede ao pote, tome cuidado, uma boa conversa pode ser a solução para prevenir eventuais traumas, caso contrário a falta de jeitinho pode machucar e atrapalhar esse momento especial.

Para você desfrutar dos prazeres do sexo anal, veja aqui 5 dicas para ajudar a não sentir dor e prevenir os desconfortos da relação.

1) Conquista e carinho

Deixe-se conquistar. O prazer de estar com a pessoa amada é um fator a ser explorado. Massagens, beijos e toques propiciam o momento perfeito de excitação e erotismo para um sexo satisfatório. Sexo anal começando com isto pode ser ainda mais gostoso.

2) Uso de preservativo

O ânus é cheio de fissuras e é o caminho principal para doenças como o HIV e DSTs. O uso do preservativo é de extrema importância pois impede a passagem de bactérias e previne outras infecções, e também auxilia na penetração.

O ânus não possui lubrificação própria e alguns preservativos, já lubrificados de fábrica, permitem uma penetração mais prazerosa. Junto com isto o uso de lubrificantes a base de água são sempre indicados. Estes lubrificantes deixarão deslizar mais facilmente. São super fáceis de serem encontrados em farmácias, supermercados e até sex shops.

3) Posição

A posição de conchinha pode ser a mais confortável e relaxante pois você controla a penetração, que não acontece totalmente, e ainda tem a vantagem de você poder se posicionar com as mãos livres para brincar com as zonas erógenas.

4) Ambiente e acessórios

A música relaxa, acalma e envolve. Uma boa música em um ambiente acolhedor favorecem a intimidade e o relaxamento. Se a musculatura anal estiver contraída ela vai impedir a passagem do pênis e a relação se tornará desconfortável. Esqueça os problemas e curta esse momento de prazer com intensidade, inclusive utilizando de acessórios anais, também encontrados em sex shops e que facilitam o relaxamento da musculatura do ânus.

5) Ducha íntima

Uma importante dica é usar a ducha íntima. Se estiver com o intestino preso, a relação anal será dolorosa e é possível que as fezes no intestino saiam. O uso da ducha íntima é simples, apenas borrife dentro do ânus e evacue o líquido fora.    

Dica Plus:

Lembre-se de respirar quando for praticar o sexo anal. É claro que você provavelmente estará respirando, mas lembre-se de respirar mais profundamente, para relaxar todo seu organismo. Assim, você respirando e relaxando, todos os músculos do seu corpo tendem a relaxar e com isso também irá facilitar o relaxamento dos músculos que envolvem o sexo anal. Isto facilitará a entrada do pênis.

O sexo anal é uma excelente alternativa para sair do lugar comum. Sua prática requer alguns cuidados, mas desde que feito com carinho só tem a fortalecer a relação do casal. O importante é evitar a dor e buscar sempre o prazer, e sexo anal pode sim ser feito sem dor alguma.

* Enylda Motta, Psicóloga, Terapeuta Sexual, Terapeuta de Família e Casal, Especialista em Sexualidade Humana e membro da equipe do Portal Sexosemdúvida.com. CRP 04-33479. Coordenadora  e Fundadora do IMSEX – Instituto Mineiro de Sexualidade em BH.Também faz palestras, cursos e workshop e orientação em educação sexual em escolas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *